Skip to main content

Colegas durante o tempo de guerra

Date: 22/04/2022

Author: Kateryna Veremyeyeva,

Category: People

Tradução: www.languagewire.com

Embora todos os colegas na JYSK Ucrânia partilhem uma tragédia comum, os momentos difíceis são sentidos de forma diferente.

Alguns trabalham numa loja. Alguns estão nas forças armadas ou na defesa que protege a população civil. E outros sobreviveram dias e noites rodeados pelo inimigo em caves ou abrigos de bombardeamentos.

A JYSK mantém-se em contacto com todos eles e abaixo estão algumas das suas histórias pessoais.

Andriy e Alina
Alina Dorosh e Andriy Bezkhlibny.

Primeiros socorros para os feridos

Andriy Bezkhlibny, gestor da área de mobiliário em Kiev, e a sua colega e companheira, Alina Dorosh, que é assistente de apoio ao cliente, estão a apoiar a polícia de patrulha.

Antes de se juntar à JYSK, Andriy era tenente sénior nos quadros de pessoal de saúde. Ele e Alina tinham conhecimentos básicos de primeiros socorros para os feridos. Nos primeiros dias da guerra, formaram soldados na administração de primeiros socorros. Agora, estão a salvar vidas realizando tarefas com a polícia.

"A JYSK também ajudou a nossa unidade com sacos-cama, mantas e toalhas. Além disso, adquirimos tudo o que é necessário para a polícia, graças aos meus colegas do serviço de apoio ao cliente", refere Alina.

"Agradecemos à empresa pelo seu apoio, ajuda e atenção. Agora é difícil e assustador; também fico assustado sempre que faço uma missão. Mas esta é a nova normalidade na Ucrânia e todos nós estamos a fazer um trabalho importante na linha da frente", diz Andriy.

De Kharkiv a Lviv

O Store Manager Oleksiy Simbiriov de Kharkiv foi evacuado para a Ucrânia ocidental após sete dias de bombeamento.

"Depois de chegar a Lviv, pedi imediatamente para ir trabalhar e comecei no dia seguinte. Fiquei muito satisfeito por essa oportunidade, porque as tarefas de trabalho desviam a atenção dos problemas, da ansiedade e de acompanhar as notícias", afirma Oleksiy.

"Sinto orgulho pelo facto de a JYSK não se ter mantido distante, doando muitos bens aos voluntários. Abrimos algumas das lojas para os nossos clientes. Precisam de nós porque vendemos produtos vitais. Em tapetes, almofadas, colchões, sofás-cama, etc., a procura excedeu largamente a oferta. Vendemos tudo o que pode ser vendido! Do nosso lado, tentamos prestar um serviço único a todos os clientes apesar das condições de trabalho especiais", continua Oleksiy.

Yulia
Yulia Bondarchuk.

Nove dias na cave

Yulia Bondarchuk, Store Manager em Bucha, não muito longe de Kiev, viveu com os seus filhos na cave durante nove dias, rodeada por combates no exterior.

"A incerteza foi a coisa mais terrível quando chegámos lá. Tínhamos medo de sair e havia bombardeamentos, helicópteros e caças a sobrevoar constantemente. As notícias mais aterradoras informaram-nos de que uma granada tinha entrado no centro comercial onde se encontrava a nossa loja, provocando um incêndio”, refere Yulia, que estava sozinha com os filhos enquanto o marido estava no estrangeiro.

"Finalmente encontrámos um homem que tinha um carro e ousou lervar-nos. Peguei rapidamente nos meus filhos e nos dois gatos, porque era o que realmente importava. Depois de todos estes eventos, as coisas materiais já não significam nada para mim. Parecia que estava num sonho: estávamos a fugir e como era assustador. Penso que nem sequer conseguia respirar. Pessoas com metralhadoras, tiros a voar sobre as nossas cabeças. Lembro-me de agradecer a todos por estarmos vivos. Estou muito grata às pessoas que ajudaram nesta terrível situação," explica Yulia.

Forte unidade

Anastasia Zakharova da loja de Bucha esteve rodeada durante quase duas semanas em condições terríveis com o seu marido e filho de três anos.

"No segundo dia da guerra, a Internet desapareceu. Três dias depois, não havia luz nem água e sete dias depois, não havia gás. Diz-se que uma pessoa habitua-se a tudo. Sim, conseguimos adaptar-nos. Transportámos água em baldes a partir de um poço, construímos um fogão para cozinhar no pátio, colocámos a gasolina dos carros no gerador para carregar o telefone. Todos os vizinhos formaram uma equipa forte", afirma Anastasia.

"Depois, a situação tornou-se muito assustadora quando o combate se aproximou de onde estávamos e decorreu no exterior durante três horas. Só me passava uma coisa pela cabeça: para sair com o meu filho, mas era demasiado tarde, a nossa cidade estava ocupada. Colunas de veículos inimigos cercavam o nosso complexo residencial. Aguardámos um corredor humanitário que finalmente abriu a 8 de março. A fuga durou muito tempo numa coluna com vários quilómetros de comprimento. Vimos tudo: equipamentos, inimigos. Estavam a cada cem metros com metralhadoras e só se ouviam explosões à nossa volta. Não sabíamos o que nos iria acontecer. Quando chegámos aos nossos militares, todos choraram: Os piores momentos da minha vida tinham ficado para trás", explica Anastasia.

Kateryna
Kateryna Hrushchenko.

O "Batalhão das Mulheres" de Kateryna

Kateryna Hrushchenko da loja de Kharkiv foi forçada a sair da sua casa e da sua cidade, e agora está a organizar ajuda humanitária numa aldeia perto de Kharkiv.

Mesmo ao lado, estão cerca de 500 imigrantes de Kharkiv. Muitas destas pessoas eram clientes regulares na loja JYSK em que trabalhava.

"Todos os dias tenho muito trabalho pela frente: Reúno listas de migrantes, reúno as necessidades e pedidos de residentes, embalo e envio ajuda humanitária, etc. Mas decidi não parar por aqui. Juntei-me à comunidade de mulheres voluntárias. A nossa organização une mulheres com vontade forte e ativas de diferentes partes da Ucrânia. Somos o "Batalhão das Mulheres"! Temos o nosso próprio website e desenvolvemos ativamente páginas nas redes sociais", afirma Kateryna.

Latest news

JYSK colleague

VÍDEO: Como gerir um negócio durante a guerra

18/05/2022 - Ievgenii Ivanytsia, Country Manager da JYSK Ucrânia, dá uma entrevista em vídeo à GOJYSK.com.

Jan Bøgh

Atualização do nosso CEO: Preparação para o novo ano financeiro

11/05/2022 - "Estou ansioso por enfrentar o ano fiscal de 2023 com todos os desafios que iremos enfrentar", afirma Jan Bøgh.

PR Event

Pelo mundo: Prémio CSR, eventos de RP e a primeira pedra em Bozhurishte

06/05/2022 - De vez em quando, fazemos uma atualização dos eventos e atividades recentes de alguns dos países da JYSK. Pode consultar os mais recentes aqui.

CÁTIA Muita força para todos, estamos todos aqui a torcer pelo melhor e que a guerra acabe rapido.
Kamylla Obrigada Jysk por partilhar conosco essas histórias... Por nos mostrar a resiliência dos colegas ucranianos.
Que tudo isto passe rápido e todos voces possam voltar as rotinas normais.
Carolina Este (espaço) é pequeno demais, para a escrever tudo o que nos vai na alma. Paz!

Adicionar comentário

Mantenha um tom agradável :)

About JYSK

Careers

JYSK Head Office